Capa
Série II / Número 3 / Volume
Março 1980
Descarregar revista

Mais um ano se inicia na vida da Sociedade Portuguesa de Química que esperamos constitua um novo avanço no esforço de renovação e desenvolvimento das suas potencialidades.Participar na vida da S.PQ. como membro dos seus corpos directivos tem constituído uma oportunidade excepcional para, em conjunto com outros, meditar sobre as relações entre a química e as actividades dos químicos e os anseios e receios da humanidade.


O reconhecimento da existência de três estados da matéria distintos - sólido, líquido e gasoso - é tão velho como a nossa civilização. Os quatro elementos de Empedocles de Agrigento (séc. VA.C.) são uma manifestaçao dessa realidade: a terra é sólida, a água é liquida e o ar é gasoso; o quarto elemento, o fogo, é a energia que permite transformar um estado noutro. No entanto, a'' explicação (quantitativa) das propriedades dos vários estados da matéria é muito mais recente e encontra-se na memória das quatro últimas gerações. Foi preciso esperar pelo século XIX, com os trabalhos de Gay- -Lussac, Regnault, Andrews e van der Waals, entre outros, para se entender o comportamento dos gases reais; e foi já em pleno século XX que Bragg, Laue, Einstein, Born, Frenkel imprimiram a sua marca indelével ao desenvolvimento das teorias dos sólidos e suas propriedades.

Realizou-se no dia 19 de Dezembro, no Complexo I, Instituto Superior Técnico, um Colóquio sobre «A necessidade de dados termodinâmicos e de transporte para o projecto tecnológico», que reuniu especialistas da Universidade e Indústria e a que assistiram bastantes estudantes.


A civilização ocidental está fortemente dependente de indústria, baseada na ciência, que só se pode manter desde que existam cientistas devidamente preparados e desde que a população em geral compreenda o que é a ciência e quais são os seus objectivos. A importância das escolas secundárias no ensino das ciências não necessita de ser posta em destaque, pois as escolas secundárias têm uma função dupla. Por um lado devem preparar alunos para cursos universitários com componente científica. Por outro lado devem satisfazer as necessidades daqueles cuja educação formal termina ao deixarem a escola para entrarem no mundo do trabalho, no qual tanto as actividades profissionais com as de ensino são profundamente afectadas pela ciência. Para se atingirem objectivos tão diversos há que enfrentar dificuldades de carácter puramente prático. como a existência de professores e de material, a limitação de horários, as pressões de novos temas científicos, etc. Além destas dificuldades a situação ainda é mais complicada pois. ao contrário de muitos assuntos que são ensinados nas escolas secundárias, a ciência é dinâmica. É necessário encontrar a possibilidade de incorporar no currículo novos conhecimentos e princípios, o que só se consegue suprimindo ou reduzindo tópicos existentes; logo aqui há campo para discussão sobre se se deve dar enfase aos factos ou aos princípios e como é que o aluno os deve aprender.
A presente comunicação aborda os seguintes aspectos: Posição da Indústria de Química Fina no contexto da economia do País e características dos empreendimentos a realizar nesse ramo: Identificação das possibilidades de desenvolvimento de Química Fina em Portugal. com vista a criar uma indústria de tecnologia avançada e de fracas exigências de capital, a qual, terá efeitos positivos sobre a balança de pagamentos e poderá servir de meio de valorização de algumas matérias primas nacionais. Os sectores abrangidos no estudo foram: matérias-primas farmacêuticas. matérias-primas para pesticidas, óleos essenciais e corantes.

A noção de temperatura e, sem qualquer dúvida, o primeiro (e, por vezes, o conceito termodinâmico a ser apreendido por um animal. Um bebé que não quer almoçar porque a comida está fria, um cão que se afasta da lareira porque está quente, possuem, basicamente, o mesmo sentimento de aversão por algo que lhes é «termicamente» desagradável... Bem no meio do quente e do frio está o neutro: quando o bebé toca a mãe, do ponto de vista térmico, poderá nada sentir. Em termodinâmica tal facto é traduzido pela afirmação de que a existência de equilíbrio térmico entre dois ou mais sistemas termodinâmicos significa que é nulo o fluxo de calor estabelecido entre eles. Uma análise mais profunda deste fenómeno revela que ele pode ocorrer independentemente das relações entre as propriedades mecânicas, eléctricas ou magnéticas dos dois sistemas - o volume, a densidade, a carga, a intensidade do campo magnético não têm normalmente influência no estabelecimento do equilíbrio térmico.


Congressos e Conferências no Estrangeiro
A Dublin, cidade dos congressos, deslocaram-se cerca de 400 professores dos ensinos secundário e terciário provenientes de 57 países para participarem numa conferência internacional cujo tema foi ''o ensino da Química - intervenção entre os níveis secundário e terciário''. Em cada dia da conferência houve um assunto principal apresentado sob dois pontos de vista, o do ensino secundário e o do ensino terciário. Seguidamente, em grupos de cerca de 20 participantes. discutia-se o assunto do dia, durante o resto da manhã, e as conclusões destas discussões foram apresentadas no fim do dia em sessão plenária. Além disso, os assuntos focados em algumas das conferências plenárias foram discutidos numa base regional (Africa, Asia, Europa de expressão francesa, resto da Europa, continente norte-americano, continente sul-americano).
Realizou-se em Washington, entre 15 e 17 de Setembro passado, a 7.a Reunião Internacional de Presidentes de Sociedades de Química. Em 1967 o Doutor C. Overberger, então presidente da American Chemical Society (ACS) convidou os presidentes de Sociedades de Química de outros países para discutirem, em Washington, assuntos de interesse comum das Sociedades. Nove países se fizeram representar no que constituiu a primeira dessas reuniões, pois foi tal o seu êxito que foi decidido prosseguir com reuniões desse tipo de dois em dois anos. As reuniões que se seguiram foram todas na Europa Ocidental, sendo a última de novo em Washington, e a próxima prevista para realizar-se na Yugoslavia.

Encontro de professores de química para a redacção de objectivos de comportamento.


V REUNIÃO HISPANO-PORTUGUESA DE ADSORÇÃO
O mercúrio é um líquido prateado. de peso elevado e insolúvel na água. LIBERTA UM VAPOR MUITO VENENOSO , devendo evitar-se a sua inalação e o contacto com os olhos e a pele. VLT *,05 mg rn-3. Este é talvez um dos produtos químicos que é manuseado mais descuidadamente em muitos laboratórios, apesar de o seu vapor poder causar graves efeitos tóxicos.
Artigo 1 - A "Sociedade Portuguesa de Química" tem por objectivo promover, cultivar e desenvolver, em Portugal, o ensino, a investigação e a aplicação da Química e das Ciências com esta mais directamente relacionados. Artigo 2 - A "Sociedade Portuguesa de Química" tem a sua Sede em Lisboa e Delegações em qualquer ponto do território nacional onde se justifiquem. Por "Delegação" entende-se uma representação permanente da Sociedade, com actividade própria. A criação ou dissolução de Delegações depende de aprovação da Assembleia Geral da Sociedade Portuguesa de Química. Parágrafo único - Consideram-se desde já criadas as Delegações de Coimbra, Lisboa e Porto.