Capa
Série II / Número 2 / Volume
Dezembro 1979
Descarregar revista
Um dos objectivos principais da Sociedade Portuguesa de Química é a comunicação científica, no que toca à química, quer por forma escrita regular, através dos Resumos das Comunicações apresentadas durante os encontros nacionais de química, quer ainda por forma oral, através de conferências, seminários, discussões de grupo e encontros nacionais e regionais. Todos estes tipos de comunicação diferem entre si no impacto e diferente articulação com os canais de informação internacionais. Assim a Revista Portuguesa de Química, que para além do português, publica frequentemente em inglês e francês, está abrangida pela organização americana do Chemical Abstracts, sendo o seu conteúdo divulgado sob forma abreviada a nível mundial.
A história das penicilinas é verdadeiramente fascinante. No decurso de experiências que realizava no seu laboratório, Fleming deixou no parapeito de uma janela uma placa coberta por bactérias, a qual foi contaminada por esporos de um fungo verde comum que se encontrava suspenso no exterior. Fleming observou que nos pontos da placa em que tinha havido contaminacão as bactérias tinham morrido: foi esta observacão que abriu as portas para o que viria a ser um dos maiores progressos no mundo da medicina.
Grande parte dos elementos, tal como aparecem na Natureza, são constituídos por várias espécies nuclearmente distintas com abundâncias determinadas, genericamente designadas por núclidos; os de igual número atómico (mesmo número de protões) designam-se em particular por isótopos (de um dado elemento). Assim, enquanto que, po exemplo, o elemento cloro aparece naturalmente constituído por dois núclidos (isótopos naturais) de números de massa 35 e 37 e abundâncias respectivamente de 75,5° e 24,5%, o fluor natural é constituído apenas por um único núclido de número de massa 19. Os núclidos podem ser estáveis, tal como os acabados de mencionar, ou radioactivos; estes, por sua vez, podem, em certos casos, existir naturalmente, mas a grande maioria dos núclidos radioactivos conhecidos apenas podem ser produzidos artificialmente através de reacçõesonucleares. Deste modo, os compostos tal como existem na Natureza ou como são normalmente preparados no laboratório ou na indústria, são constituídos pelos vários elementos com a composição isotópica natural. Acontece que, para certos fins, sobretudo em investigação em química, biologia, medicina, agronomia, etc., interessa por vezes ter presente, um dado núclido (estável ou radioactivo) incluso num composto determinado. Isto pode ser importante, porque permite seguir ou traçar o caminho que esse núclido vai percorrer num dado sistema, tornando o composto em que se encontra integrado (ou um seu produto de transformação) facilmente reconhecível em dado passo do processo a que ele se encontra sujeito.
Qual é, tradicionalmente, a diferença entre um ensino da química nos anos finais do curso secundário e um ensino da química numa licenciatura? Responderemos a esta pergunta por meio de duas constatações que abandonaremos em seguida para tentar ir mais além daquilo que é evidente. UMA PRIMEIRA CONSTATAÇÃO O nível do curso (complexidade crescente dos conceitos estudados) e dos trabalhos práticos (utilização de processos e de materiais cada vez mais complexos) diferenciam aqueles ensinos. As informações necessárias ao ensino nos anos finais do secundário serão recolhidas pelo professor a partir de um número restrito de publicações de nível elementar, enquanto que as necessárias a um ensino a nível de mestrado se baseiam na análise de um número maior de documentação de nível elevado (tratados, actualizações e, eventualmente, publicações especializadas). A capacidade de análise das publicações científicas, necessária ao ensino no mestrado, encontra-se evidentemente ligada â prática da investigação, a este nível, por parte do docente.

A nomenclatura de hidretos de nitrogénio e de catiões, aniões e ligando derivados apresenta problemas particularmente difíceis. Os hidretos e muitos dos seus derivados são obtidos comercialmente com nomes triviais, não sistemáticos e abreviados. Os hidretos são inorgânicos mas a maioria dos seus derivados é orgânica, e a nomenclatura proposta deve ser compatível com a nomenclatura aditiva (inorgânica) e substitutiva (orgânica). Deve também ajustar-se às tendências actuais para uma nomenclatura proposta; deve ser compatível com a nomenclatura aditiva (inorgânica) e substitutiva (orgânica). Deve também ajustar-se às tendências actuais para uma nomenclatura mais sistemática.


Congressos e Conferências no Estrangeiro
Pesos Atómicos dos Elementos 1975
3.° ENCONTRO NACIONAL DE QUÍMICA COIMBRA, Divisão de Educação
Realizou-se no passado dia 21 de Maio no Instituto de Investigação Científica Bento da Rocha Gabral, a comemoração do 50.° ano de actividade científica do Professor Kurt Jacobsohn, Professor Jubilado da Faculdade de Ciências Lisboa.
A firma KANE-MAY (U.K.) introduziu no mercado dois novos termómetros, particularmente adequados para utilização na indústria, uma vez que são portáteis, de fácil manuseamento e de resposta bastante rápida. Um deles, o «Infratrace», mede através de uma célula fotoelétrica, a intensidade da radiação infra-vermelha emitida por um corpo, intensidade que, como se sabe, é função da temperatura desse corpo. Franklin Miller Inc. refere o aparecimento de um pequeno folheto informativo sobre a resolução de muitos dos problemas relacionados com o controlo de resíduos em operação. O folheto descreve a maneira de interromper, cortar, acelerar fluxos, misturar e controlar os resíduos sólidos, de forma directa, num sistema sanitário completamente fechado. A Bayer anuncia o lançamento de novos corantes,branqueadores e produtos auxiliares.
Das azidas comuns, a azida de sódio é a única que é estável. No entanto a utilização de azida de sódio em qualquer reacção química pode conduzir á formação de uma azida EXPLOSIVA, ou de ácido hidrazóico, que pode EXPLODIR VIOLENTAMENTE quando puro ou em solução concentrada. O anidrido carbónico gasoso apresenta riscos praticamente negligíveis quando utilizado no laboratório. No entanto, o gás solidificado pode ser perigoso e exige um manuseamento cuidadoso.
Agatha Christie, famosa escritora de livros policiais, escreveu 54 obras que envolvem o uso de venenos. No «Pharmaceutical Journal» foi publicada uma lista de todos os venenos que Agatha Christie utilizou nos seus livros, e que vão desde o ópio, a nicotina e a cocaína, até ao cianeto de potássio.
Artigo 1 - A "Sociedade Portuguesa de Química" tem por objectivo promover, cultivar e desenvolver, em Portugal, o ensino, a investigação e a aplicação da Química e das Ciências com esta mais directamente relacionados. Artigo 2 - A "Sociedade Portuguesa de Química" tem a sua Sede em Lisboa e Delegações em qualquer ponto do território nacional onde se justifiquem. Por "Delegação" entende-se uma representação permanente da Sociedade, com actividade própria. A criação ou dissolução de Delegações depende de aprovação da Assembleia Geral da Sociedade Portuguesa de Química. Parágrafo único - Consideram-se desde já criadas as Delegações de Coimbra, Lisboa e Porto.