Três medalhas e menção honrosa na XIV Olimpíada Ibero-Americana de Química

Pela primeira vez, desde que Portugal iniciou a sua participação na Olimpíada Ibero-americana de Química, todos os alunos que constituíram a equipa portuguesa viram o seu desempenho recompensado com prémios. Assim, a delegação portuguesa regressou ontem a Portugal com quatro prémios na bagagem: uma Medalha de Prata, duas Medalhas de Bronze e uma Menção Honrosa.
A Medalha de Prata foi conquistada por Diogo Manuel Santos Teixeira, do Colégio Cedros, enquanto Francisco Diogo Ferreira (também do Colégio Cedros) e Leandro Tiago Marques (da ES Sousa Basto, Oliveira de Azeméis) obtiveram Medalhas de Bronze. João Luís Sousa (ES Domingos Sequeira, Leiria) não atingiu as medalhas, mas o seu desempenho meritório foi reconhecido pelo Júri com a atribuição de uma das sete Menções Honrosas desta competição.
De acordo com os docentes que acompanharam a equipa (mentores), Maria Clara Magalhães e Diana Pinto, da Universidade de Aveiro, “o nível de dificuldade da prova foi idêntico ao de anos anteriores”, pelo que o mérito do sucesso agora obtido deve ser “integralmente atribuído aos alunos, pelo seu empenho nas sessões de preparação e pela capacidade de estudo autónomo que demonstraram” – e que lhes permitiu obter boas classificações em temas que são normalmente difíceis para os participantes nacionais.
Ainda segundo Diana Pinto, “é evidente que a experiência adquirida nos anos anteriores torna possível optimizar o tempo de preparação dos alunos”, mas essa vantagem foi particularmente potenciada pelas “muitas horas de estudo desta equipa”.
A preparação dos participantes das Olimpíadas Internacionais e nas Olimpíadas Ibero-Americanas de Química está sedeada no Departamento de Química da Universidade de Aveiro desde 2002 e conta com a colaboração de uma equipa alargada. Neste ano lectivo, a preparação – que se estendeu de Outubro de 2008 a Setembro de 2009 – teve a participação dos docentes do Departamento de Química Maria Clara Magalhães, Diana Pinto, Amparo Faustino, Graça Marques e Jorge Saraiva. Esta equipa contou ainda com a colaboração de Ana Seca (docente da Universidade dos Açores) e de Alzira Rebelo (docente do Colégio dos Carvalhos). A colaboração da Prof. Alzira Rebelo e do Colégio dos Carvalhos – que acolheu os alunos nos seus laboratórios – foi particularmente relevante na preparação dos alunos em técnicas laboratoriais básicas.
Esta 14ª edição da Olimpíada Ibero-Americana de Química decorreu em La Habana, Cuba, de 4 a 11 de Outubro e juntou 51 finalistas do ensino secundário de 13 países ibero-americanos: Argentina, Bolívia, Brasil, Colômbia, Costa Rica, Cuba, Espanha, Guatemala, México, Perú, Portugal, Uruguai e Venezuela. Portugal foi o país organizador da competição em 2006 (na Universidade de Aveiro) e poderá voltar a sê-lo em 2013.
As Olimpíadas de Química são uma actividade promovida pela Sociedade Portuguesa de Química com o patrocínio do Ministério da Educação e que visa (i) dinamizar o estudo e ensino da Química nas Escolas Básicas e Secundárias, (ii) proporcionar a aproximação entre as Escolas Básicas e Secundárias e as Universidades, e (iii) despertar o interesse pela Química, cativando vocações para carreiras científico-tecnológicas entre os estudantes.

Publicado/editado: 12/10/2009
© :: Sociedade Portuguesa de Química 2013