Os Jovens e a Ciência em Portugal e na Europa

O Eurobarómetro “Flash” 239 da Comissão Europeia sobre a atitude dos jovens europeus perante a ciência, conclui que os jovens Portugueses são os mais interessados pelas notícias de ciência e tecnologia e estão entre os que têm uma visão mais positiva da ciência e dos cientistas.

As conclusões gerais para os jovens dos 15 aos 25 anos na União Europeia revelam uma atitude geral interessada e positiva perante a ciência e a tecnologia, embora com algumas reservas:

Cerca de 35% ‘concordam fortemente’ que a ciência traz mais benefícios do que prejuízos, mas 38% acham que o lucro está a ter demasiada influência nestes temas.

Cerca de 4 em cada 10 rapazes e 3 em cada 10 raparigas ‘concorda fortemente’ que a ciência e a tecnologia lhes proporcionam uma vida mais confortável e saudável.

Uma larga maioria dos jovens concorda que a ciência deve servir principalmente para o desenvolvimento do conhecimento, enquanto uma minoria sente que deve servir principalmente as empresas e os negócios.

O interesse dos jovens pelas notícias de ciência e tecnologia (76% a declararem-se interessados ou muito interessados) situa-se abaixo do interesse pela cultura e entretenimento e bastante acima do interesse pela economia e política.

No entanto, no que respeita a escolhas profissionais, só uma minoria dos jovens europeus admitiu considerar a área de ciência e tecnologia como opção. Na sua maioria declararam preferir estudar ciências sociais, depois economia ou gestão. A matemática foi seleccionada pelo grupo menor.

Uma proporção idêntica de jovens (22%) gostaria de tornar-se engenheiro ou profissional de saúde. O grupo seguinte é constituído pelos que de estudar ciências naturais ou matemática para se tornarem professores. Só 9% gostaria de ter uma carreira técnica.

Em geral, as raparigas preferem estudar matemática ou ciências naturais para se tornarem profissionais de saúde, professoras ou investigadoras no sector público. Os rapazes estão mais inclinados para as engenharias, investigação no sector privado, ou carreira técnica.

Os jovens portugueses assumem neste “Eurobarómetro” uma posição destacada em alguns tópicos.
São os mais interessados em notícias de ciência e tecnologia, com 87% a declararem-se interessados (média EU: 67%). Este interesse é superado pelo interesse em notícias de cultura e entretenimento (cinema, música,...) com 96%, mas ultrapassa o interessa pelas notícias desportivas (com apenas 81%). Já o interesse pela economia e política situa-se pelos 40% (média EU: 44%).

Os tópicos que mais interessam aos jovens portugueses são as inovações científicas e tecnológicas, e as tecnologias de informação e comunição, enquanto os menos interessantes são os relacionados com universo e estrelas .

Na opinião positiva sobre a ciência (a ciência traz mais benefícios que prejuízos), os jovens portugueses só são ultrapassados pelos polacos (92% e 95% de acordo, respectivamente, média EU: 82%).
No entanto, a confiança em que “a ciência ajudará a eliminar a pobreza e a fome do mundo” é menor: apenas 57% concordam ou tendem a concordar, o que os coloca na 10ª posição entre os europeus (média UE: 44%). Pior ainda é a visão de que a ciência “acabará por criar mais empregos que os que elimina”: só 45% dos jovens portugueses concordam ou tendem a concordar (média UE: 49%).

Outros resultados:
97% dos jovens portugueses concordam ou tendem a concordar que a ciência deve visar principalmente o desenvolvimento do conhecimento (média UE: 88%).
91% dos jovens portugueses vêem os cientistas como pessoas dedicadas que trabalham para o bem da humanidade (média UE: 80%).
84% dos jovens portugueses concordam ou tendem a concordar que o governo deveria financiar mais a ciência (média UE: 79%).

No que respeita a estudos futuros, os jovens portugueses distribuem os seus interesses por várias áreas:
Ciências Sociais/Humanidades: definitivamente sim ou provavelmente sim (33%)
Economia/Gestão: definitivamente sim ou provavelmente sim (25%)
Biologia/Medicina: definitivamente sim ou provavelmente sim (37%)
Engenharia: definitivamente sim ou provavelmente sim (34%)
Ciências Naturais: definitivamente sim ou provavelmente sim (33%)
No entanto, é de referir que enquanto nas duas primeiras áreas (Ciências Sociais – Gestão) os jovens portugueses estão entre os menos interessados da Europa, nas restantes estão entre os mais interessados.

As profissões que mais atraem os jovens portugueses são as ligadas à área de Saúde (31%), Engenharias (25%) e investigação no sector privado (11%). De referir que na maioria dos outros países, a opção “Professor” aparece como uma das 3 preferidas pelos jovens.

Este inquérito pode ser consultado nas páginas da UE ou seguindo a ligação abaixo indicada.

PRC


ver mais
Publicado/editado: 15/11/2008
PERIÓDICOS DE QUÍMICA


com o apoio

© :: Sociedade Portuguesa de Química 2013