5 razões para o insucesso escolar em Química

A Química faz parte da vida de todos nós, desde a cozinha e as limpezas até ao desenvolvimento de vacinas e à mais recente tecnologia de chips para computador.
Não deve intimidar ninguém, nem tem de ser difícil de entender.

Baseado no trabalho de A.M. Helmenstine “Top 5 Reasons Why Students Fail Chemistry”, http://chemistry.about.com/od/homeworkhelp/tp/blfailchem.htm.


1) O “deixar para amanhã”
Nunca fazer hoje o que se pode deixar para amanhã? É o caminho errado em quase tudo, mas sobretudo na Química!
As primeiras aulas de Química podem ser muito acessíveis – o que é óptimo: estás a perceber a matéria! – mas não te deixes embalar pela falsa sensação de facilidade.
É um erro deixar o estudo “lá mais para perto do exame”: o sucesso em Química requer uma construção progressiva de conceitos sobre conceitos, e quem não acompanha os conceitos básicos está a pedir sarilhos!
Acerta o passo e não “marres” de véspera! Dedica um pequeno período de tempo diário - ou, pelo menos, frequente - para acompanhar as matérias de Química. Isto resulta muito bem a longo prazo.

Qual a melhor preparação de um atleta para uma corrida de 100 metros nos Jogos Olímpicos?
Hipótese A – Correr 100 metros uma vez por dia, durante 1 mês.
Hipótese B – Correr 100 metros por 30 vezes na véspera da prova (e talvez fazer “uma directa” a correr...).

2) A preparação insuficiente a matemática
Não é aconselhável tentar compreender a Química sem ter bases de matemática.
E não são só as conversões de unidades e a aplicação da “regra de três”... é melhor estar preparado para resolver problemas diariamente.
Aliás, essa é uma das capacidades mais procuradas pelos empregadores: a capacidade de um Químico para resolver problemas!

3) Não ler os textos… ou nem comprar o livro
É verdade que há disciplinas em que os livros de texto são opcionais – ou mesmo inúteis -, mas a Química não é uma dessas disciplinas!
Arranja os textos recomendados e lê-os! O mesmo se aplica aos manuais de laboratório. Mesmo que as aulas sejam fantásticas e o professor brilhante, vais precisar de um livro para solidificar os conceitos, realizar os trabalhos de casa, praticar os exercícios, esclarecer dúvidas, descobrir coisas novas...

4) A auto-desmotivação: eu nunca vou conseguir, não tenho sorte…
“Eu sei que sou capaz!” Esta é a atitude positiva a tomar perante a Química. Se te mentalizares que vais falhar, estão estás a preparar-te para cumprir a previsão.
A regra é acreditar que é possível, e trabalhar para isso. E se trabalhares para isso, tens de acreditar que é possível! A sorte tem muito pouco a ver com o caso...

Sou uma pessoa com muita sorte: quanto mais trabalho, mais sorte tenho!
Provérbio Chinês, citado por Alan MacDiarmid, Prémio Nobel da Química em 2000

5) Não fazer o trabalho por si próprio
Aqueles livros de exercícios com as soluções no fim são excelentes, não é? E aquele colega prestável que sabe sempre resolver os exercícios todos? Pois, podem ser muito úteis se forem uma ajuda para entender a matéria, mas não se forem usados como um caminho fácil para acabar o trabalho de casa... sem trabalho!
Nunca deixes que os livros ou os colegas trabalhem por ti. Eles não vão estar disponíveis nos exames... nem na tua vida profissional! (aliás, o mais certo é que sejam os tais colegas a ficar com os melhores empregos).

PRC

Publicado/editado: 05/05/2007
PERIÓDICOS DE QUÍMICA

PRÓXIMOS CONGRESSOS

Projecto Sal Ciência


com o apoio

© :: Sociedade Portuguesa de Química 2013