Capa
Série II / Número 143 / Volume 40
Dezembro 2016
Descarregar revista

O QUÍMICA tem uma nova comissão editorial e este foi o primeiro número que coordenámos. Antes de fazer qualquer outro comentário, é justo salientar aqui o excelente trabalho desenvolvido pelo Professor João Paulo André e a sua equipa na edição dos últimos catorze (!) números do QUÍMICA. Ao Professor João Paulo André agradeço a amabilidade demonstrada na “passagem de pasta”, bem como as pequenas dicas que fazem toda a diferença. 


- Reunião da Assembleia Geral da EuCheMS - 2016 - Presidente da SPQ eleito para o Executive Board da EuCheMS
- EuCheMS - Division of Chemical Education
- EuCheMS - Division of Chemistry and the Environment
- EuCheMS - Division of Organic Chemistry – 8th Young
Investigators Workshop
- A XXI Olimpíada Ibero-Americana de Química
- 11th Inorganic Chemistry Conferen ce & 1st Mee ting of the
Inorganic and Bioinorganic Chemistry Division of SPQ
- Prémio Nobel da Química 2016


Andreia Valente licenciou-se em Química Tecnológica pela Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa em 2006. Em 2007, obteve o Grau de Mestre em Química Inorgânica Biomédica - Aplicações em Diagnóstico e Terapia, pela mesma instituição. De seguida, juntou-se à Unité de Catalyse et Chimie du Solide, liderada pelo Professor André Mortreux, e doutorou-se, em 2010, pela Université des Sciences et Technologies de Lille 1, onde tinha realizado estágio no âmbito do Programa Erasmus durante a licenciatura. Posteriormente, fez dois pós-doutoramentos sob orientação da Professora Helena Garcia, o primeiro na área da ótica não-linear e o segundo na área de metalofármacos para a terapia do cancro. Atualmente é Investigadora Auxiliar (ao abrigo do Programa Investigador FCT) no Centro de Química Estrutural – Pólo Ciências, onde faz investigação independente na área da terapia dirigida contra o cancro, em particular, dirigindo os seus esforços na síntese de novos complexos metal-polímero como sistemas de entrega
de fármacos com aquele fim.


As alterações climáticas e o crescimento da população são dois grandes desafios do século XXI. Nas últimas décadas, perdas na colheita de produtos agrícolas devido a padrões ambientais instáveis têm vindo a aumentar, e modelos climáticos preveem um aumento da ocorrência de secas, inundações, e temperaturas extremas. Este cenário representa uma ameaça para a segurança alimentar global. É, portanto, crucial desenvolver estratégias para melhorar a disponibilidade de alimentos em climas variáveis, e transferir esse conhecimento aos agricultores a curto prazo.


O aquecimento óhmico, ou aquecimento direto por efeito de Joule, é um método de processamento térmico de materiais usado principalmente na indústria alimentar. A sua utilização em síntese orgânica, no aquecimento de reatores químicos, é um método emergente que apresenta grandes potencialidades e cujo desenvolvimento teve início muito recentemente em Portugal. Neste artigo são apresentados e explicados os fundamentos do aquecimento óhmico e é feita a comparação qualitativa e quantitativa com outros métodos comuns de aquecimento. Pretende-se ainda dar a conhecer o estado de desenvolvimento e perspetivas futuras da área de estudo do aquecimento óhmico. É feita a descrição sumária do prótotipo do reator óhmico que está em funcionamento e são apresentados exemplos da sua aplicação em síntese orgânica à escala laboratorial bem como as vantagens e limitações inerentes a esta nova tecnologia de aquecimento.


O Prémio Nobel da Química de 2016 veio reconhecer, e tornar público, o trabalho desenvolvido, e os surpreendentes resultados alcançados, na área das máquinas moleculares nas últimas três décadas. Apesar de haver muitos grupos de investigação envolvidos no estudo destas máquinas, o prémio Nobel foi atribuído aos três cientistas que, em subáreas específicas, deram contributos decisivos para o atual estado da arte nesta área de investigação. Neste artigo apresentam-se, essencialmente, os trabalhos mais relevantes desses três cientistas.


Nas últimas décadas,a síntese de compostos enantiomericamente puros tem merecido especial atenção das indústrias farmacêutica e fitofarmacêutica, uma vez que possibilita a utilização de produtos com eficácia biológica acrescida, redução de potenciais efeitos adversos e, também, de custos. 

Um dos herbicidas mais utilizados no mundo é o metolacloro, 2-cloro-N-(2-etil-6-metilfenil)-N-(1-metoxipropan-2-il) acetamida. Nesta molécula existe um carbono quiral, tendo-se verificado que a atividade herbicida se deve essencialmente ao isómero S. O (S)‑metolacloro é sintetizado por um processo em três passos, em que o passo fundamental é a hidrogenação catalítica assimétrica de N-(2-etil-6-metilfenil)-1-metoxipropan-2-imina a (S)-2-etil-N-(1-metoxipropan-2-il)-6-metilanilina. A SAPEC Agro, em parceria com uma empresa internacional especialista na área da catálise e instituições universitárias nacionais, desenvolveu um processo de síntese de (S)-metolacloro que permitiu uma melhoria significativa dos principais indicadores de processo, que se traduzem numa conversão de 98%, com um excesso enantiomérico do isómero S de 90%, num tempo de reação inferior a 20 horas, e também, em aspetos de segurança industrial, uma vez que a hidrogenação é conduzida com uma pressão de hidrogénio significativamente inferior à referida na literatura.


O recente óbito de Lauri Vaska leva-nos a evocar a memória dum excecional pioneiro da Química Organometálica. A sua obra, construída em torno da química dum complexo de irídio capaz de ativar um extraordinário número de ligações químicas, foi crucial para o desenvolvimento da catálise homogénea, da Química Organometálica e da revolução que esta trouxe à moderna síntese orgânica. Neste artigo revê-se brevemente a história e o conteúdo deste percurso científico sinalizado por um molécula que, caso raro na Química Organometálica, se apropriou do nome do seu criador tornando-o inesquecível: o complexo de Vaska, trans-[IrCl(CO)(PPh3)2].


 

John Desmond Bernal, o “Sage”, foi um gigante intelectual. Na sua vida científica começou por decifrar a estrutura da grafite e da água, sólida e líquida, a fim de compreender as suas peculiares propriedades. Seguiu-se a primeira resolução tridimensional de uma proteína, de esteróis, de hormonas sexuais, da vitamina D; mais tarde, a estrutura do TMV, o vírus do mosaico do tabaco, composto não só de proteína, mas também de ácido nucleico, RNA. A Bernal se deve a conceção da moderna biologia estrutural. Fundou e dirigiu o Biomolecular Research Laboratory no Birkbeck College da Universidade de Londres


O Congresso Europeu de Espectroscopia Molecular (EUCMOS) é, a nível mundial, uma das mais prestigiadas reuniões científicas dedicadas à espectroscopia molecular. Ao longo de 70 anos, o Congresso Europeu de Espectroscopia Molecular tem servido a espectroscopia na Europa e no Mundo. A história distinta da série de congressos EUCMOS é também, seguramente, um dos melhores exemplos de como uma associação independente de cientistas pode resultar numa série extraordinariamente bem sucedida de eventos caracterizados pela excelência do seu conteúdo científico, apoio sistemático e sustentado ao desenvolvimento da espectroscopia e da ciência em geral, e estímulo aos jovens investigadores. Esta nota histórica atualiza a original, publicada em 2001 na revista científica Journal of Molecular Structure [A.J. Barnes, "A Brief History of EUCMOS", J. Mol. Struct., 563–564 (2001); Editorial].


O papel da interdisciplinaridade na sedimentação de conceitos básicos e estruturantes para o desenvolvimento da aprendizagem em química pode ser implementado através de pequenos projetos que implicam a realização de procedimentos laboratoriais repetitivos conducentes ao desenvolvimento da memória de longo prazo, bem como criativos e de interligação de conceitos. O projeto aqui apresentado é uma proposta de trabalho para implementação nas escolas de ensino secundário, em atividades paralelas à sala de aula. Tendo como objeto de estudo os sistemas biológicos, é proposta a monitorização de diversos parâmetros químicos, necessários ao desenvolvimento de espécies hortícolas selecionadas, com o objetivo de dinamizar a aprendizagem de um conjunto significativo de conceitos químicos incorporados nos programas curriculares dos 10.º, 11.º e 12.º anos do ensino secundário.


A atividade desta edição pretende demonstrar como podemos fazer um motor, combinando a Química com outras ciências. No nosso quotidiano utilizamos baterias constantemente, em telemóveis, relógios, computadores ou carros. As baterias estão de facto por todo o lado. Nesta atividade iremos construir um simples motor com a ajuda de baterias e de ímanes – o motor homopolar.


- XXXIV European Congress on Molecular Spectroscopy (EUCMOS 2018)

- 11.ª Conferência Internacional sobre a História da Química

- International Symposium on Macrocyclic and Supramolecular Chemistry (ISMSC) in conjunction with ISACS: Challenges in Organic Materials & Supramolecular Chemistry


.