Capa
Série II / Número 141 / Volume 40
Junho 2016
Descarregar revista

No passado dia 23 de abril fez 400 anos que morreu o dramaturgo e poeta inglªes William Shakespeare, na mesma localidade onde nascera, Stratford-upon-Avon, no condado de Warwickshire.


- INTERNATIONAL CONFERENCE ON CHEMISTRY AND THE ENVIRONMENT;
- 1.º CONGRESSO INTERNACIONAL DE QUÍMICA DA UNIVERSIDADE
DE CABO VERDE;
- OLIMPÍADAS DE QUÍMICA JÚNIOR – UNIVERSIDADE DO MINHO;
- GRUPO DE HISTÓRIA DA SPQ


Mário Nuno M. S. Berberan e Santos (n. Lisboa, 1961) é licenciado em Engenharia Química pelo IST, tendo aí também obtido o seu doutoramento (supervisor: Manuel Prieto) e a sua Agregação, ambos em Química. Fez o pós-doutoramento no CNAM (Paris) e na Université Paris-Sud (Orsay) com Bernard Valeur. É Professor Catedrático de Química-Física, Materiais e Nanociências no IST e realiza investigação no Centro de Química-Física Molecular. É Fellow da Royal Society of Chemistry. Foi Secretário-Geral e Presidente da SPQ.


Uma partícula muito pequena pode projectar uma sombra muito grande, se mudarmos a escala com que vemos o mundo


A mecanoquímica ressurgiu nos últimos anos como uma alternativa muito interessante para a síntese orgânica sustentável, ou mais amiga do ambiente.


Gilbert Newton Lewis foi um dos mais brilhantes cientistas da primeira metade do século XX. Contudo, permanece quase desconhecido para a generalidade dos cidadãos, apesar de, passado um século, o seu nome continuar a surgir explicitamente mencionado nas temáticas "notação de Lewis" e "ácidos e bases de Lewis", matérias curriculares a nível do ensino secundário e universitário.


Do final do século XVI a inícios do XVIII assistiu-se a um enorme desenvolvimento das artes e da ciência, cujos principais atores e obras se mencionam, especialmente no respeitante à pintura.


Tomando como ponto de partida as descobertas e invenções científicas que levaram à proclamação de 2015 como Ano Internacional da Luz e das Técnicas Baseadas na Luz, um passeio no tempo à volta da influência da luz nas artes, nomeadamente na música (ópera incluída), pintura, literatura, fotografia e arquitectura.


Luz, ciência e arte - a história da primeira é a história das outras; todas se cruzam, potenciando-se mutuamente, dando novos sentidos e configurações no acto da criação, já por si luminoso.


O presente trabalho pretende ilustrar através de experiências laboratoriais simples a aplicação de um carvão ativado comercial como agente de tratamento de águas através da sua utilização na remoção de dois diferentes contaminantes.


Nesta edição vamos tirar partido de uns compostos químicos muito especiais os surfactantes. Estes compostos estão presentes em diversos materiais e são muito utilizados no nosso dia-a-dia. Os detergentes são talvez a sua aplicação mais vulgar, no entanto, a presente actividade irá demonstrar uma nova utilização como para um veículo aquático! 


.


.